Publicado em Conto

Conto: Lost In NY

stockvault-school-bus110210

Capítulo 2- A Grande Perda 

As férias daquele mês tinham passado muito rápido e em menos de 6 semanas eu já ia voltar a estudar, e aquele ano foi um dos piores da minha vida, eu ia me mudar e por causa disso eu tive que desistir de estudar onde queria. Eu ia me afastar da minha melhor amiga e das pessoa que estudaram comigo boa parte do ensino fundamental(mas delas eu não sentiria muita falta). E num piscar de olhos tive que voltar às aulas, e passar por tudo de novo.  Nas primeiras semanas não teve praticamente nada, fiquei sentado no meu canto perto da parede e não falava com ninguém, tinha muita vergonha de conversar com outras pessoas e pelo fato de ser excluído eu sabia que muitas pessoas falavam mal de mim pelas costas e me botavam apelidos, mas isso não me incomodava muito, passando-se uns 2 meses arranjei 1 pessoa que não era exatamente uma amiga, a gente só conversava sobre coisas da escola e outros assuntos, o nome dela era Camila e através dela conheci outra menina chamada Ágata e elas eram como eu, nos tínhamos praticamente todos os gostos parecidos, gostávamos dos mesmos cantores, musicas, livros, filmes. E depois de uns dias a Ana tinha me mandado uma mensagem falando que ia acontecer uma festa na casa de uma amiga dela, e que ia ter muita gente de várias cidades e que eu ia poder conhecer outras pessoas legais. No começo hesitei em ir, mas seria uma boa reencontrar ela e outras pessoas. E a festa ia ser em Abril, mas como teve alguns contratempos ela teve que ser no começo de Maio, e voltei a minha rotina normal naquela escola, eu tinha aula, no recreio eu comia e conversava com a Ágata e a Camila. Eu não queria ir sozinho até aquela cidade e então convidei elas para irem comigo e já como a festa já estava se aproximando depois da aula resolvemos ir em algumas lojas escolher alguma roupas legais para ir a festa. E nos três escolhemos uma roupa preta básica para ir, e até que as roupas estavam bem baratas.

O dia da festa tinha chegado e ela ia começar as 20:00 e como já eram 18:34 fui tomar banho, vesti a minha roupa e liguei para as meninas avisando que era pra elas estarem aqui as 19:40, disseram que estava tudo bem e que chegariam a tempo. E como tinha adivinhado elas atrasaram uns 4 minutos, mas não tinha me importado muito, só tranquei a casa e fomos direto para o ponto de ônibus e chegamos um pouco tarde na festa, mas 10 minutos não faziam mal a ninguém .E quando chequei à festa a Ana veio me cumprimentar:

– Oi Henri, quanto tempo, parece que são anos que não te vejo-falou Ana-

-Só uns meses, palhaça. Deixa eu te apresentar algumas amigas- eu tinha apresentado a Ágata e a Camila, e elas cumprimentaram a Ana e foram muitos simpáticas com ela-

-E quais são as novidades?

-Por enquanto, nenhuma. E você?

-Eu estou namorando o Felipe, foi muito útil aquele conselho que você me deu.

-Ah,um obrigado seria ótimo.

-Obrigado palhaço.

E a gente ficou conversando por um tempo até que o Felipe chegou todo animado querendo bater um papo com as minha amigas, e elas já tinham me lançado aquele olhar de socorro-manda-esse-idiota-pra-longe-daqui. E eu pedi pra ela pegarem uma bebida pra mim, claro que sem álcool, e eu ia junto com elas, mas o Felipe falou que precisava conversar comigo, então fui atrás dele até um canto que não tinha muita gente, ele estava um pouco bêbado e, coitado tinha apenas 18 anos e já estava naquela situação. Ele veio me pedindo desculpa falando que não era culpa dele o que ia acontecer, e que ele tinha se arrependido de ter participado daquilo contra mim. E outras coisas estranhas que eu não tinha compreendido. E fugi dele e falei com a Ana que eu já queria ir embora e ia procurar minhas amigas. E a Ana falou que estava tudo bem e ela tinha me pedido pra esperar mais um pouco que ela tinha me preparado uma surpresa.

E como estava muito tarde resolvi já chamar as minha amigas para ir embora, encontrei a Ágata e a Camila conversando com 2 carinhas e falei pra ela que eu já ia embora e depois elas me agradeceram porque não suportavam mais falar com aquelas pessoas e só via a hora de tudo isso acabar. E quando estávamos no portão a Ana veio com a Barbara e com outras garotas e garotos e eles jogaram ovos na gente, e não conseguia respirar muito bem por causa daquele cheiro, eu não acreditava que aquilo tinha acontecido comigo e justo a Ana tinha feito aquilo. Eu e as meninas fomos embora e só escutávamos gargalhadas de um monte de adolescentes estúpidos. E quando estávamos dobrando a esquina recebi uma ligação do hospital falando que o Felipe tinha sofrido uma parada cardíaca e queria muito falar comigo. Eu e elas fomos para o hospital e eu tinha chorado muito por causa disso, mas eu me controlei e chorei por dentro, naquela época conseguia esconder os meus sentimentos. E chegando ao hospital o medico me levou ao quarto onde ele estava e vi o Felipe cheio de fios no corpo em uma situação que me comoveu muito. E ele pediu para ficar sozinho comigo. O medico perguntou o que tinha acontecido com a gente, e ele foi embora com as meninas e elas foram explicando pra ele. E quando estávamos sozinhos ele começou a chorar e me pedir desculpas falando para eu perdoar ele por ter participado daquela brincadeira, e comecei a chorar junto com ele. Eu tinha ficado com muita raiva dele, mas ver ele naquela situação tinha me comovido muito, e então decidi perdoar ele. Ele tinha sofrido outra parada cardíaca e uns médicos vieram socorrer ele, mas ele morreu, ele era um dos meu melhores amigos, umas das pessoas em que eu mais confiava, e lembrar os momentos que passamos juntos e a nossa musica favorita “Fly” da Avril me emocionou muito e sai correndo do quarto chorando, e falei para o médico o que tinha acontecido e fui embora chorando com as minhas amigas, aquele tinha sido um dos piores dias da minha vida, e quando estávamos indo embora comecei a chorar, mas as minhas amigas me confortaram muito naquela situação.

Publicado em Conto

Conto: Lost In NY

 

 

IMG_0071free-773x515

Capítulo I- Início

Eram 5:30 quando escutei aquele barulho do despertador, não conseguia ficar em pé depois daquele dia, o barulho daquela festa não saia da minha cabeça, isso me lembra o porque de eu não gostar de sair de casa. Hoje era um dia especial, não especial mas muito aguardado, finalmente era o meu adeus ao Ensino Fundamental. Com muita calma e paciência arrumei a minha cama, deixei o uniforme em cima da mesa junto com minha mochila, deixei minha bota perto da porta, fui para o banheiro e deixei aquela água quente escorrer. Terminado fui escovar os dentes e fiz meus cuidados diários. Vesti o uniforme, peguei minha mochila e coloquei dentro um livro francês que o meu professor tinha indicado.
Desci correndo as escadas para tomar café, eu não gostava de comer muito de manhã, o máximo era um chocolate quente com muita chantilly e fui para a escola. Eu morava perto da minha escola e todos os dias eu entrava em um jardim muito bonito ao lado de um casarão. Tirei os meus fones de ouvido assim quando entrei na escola e fui direto para minha sala, lá encontrei uma das minhas amigas, ela estava conversando com uma garota que não ia com a minha cara e nem eu com a dela. Fiz um gesto pra Ana de que precisava falar com ela.
– Oi Henri -Falou Ana-, como você está? Ontem tentei te ligar várias vezes, o que aconteceu?
– Eu to bem, e você? Ontem meu celular ficou o dia todo descarregado, fiquei muito cansado depois daquela festa que resolvi dormir.
– Ah! E por que você saiu tão cedo? A festa estava muito maneira.
-Eu não me senti muito bem, fiquei com dor de cabeça e fui embora com o Felipe.
– Você ficou sabendo?
– Sabendo exatamente do que?
– Aconteceu o maior babado do ano, parece que o Felipe terminou com a Bárbara porque ele pegou ela beijando o Bruno dentro do banheiro da festa.
– Que pena, mas o que EU tenho a ver com isso? Não sei como ele ficou tanto tempo namorando aquela va*******, nunca fui com a cara dela.
– E você acha que eu tenho chance com ele?
– Mas você é uma p***, eu diria pra você esperar a poeira baixar um pouco e depois pensar SE você quer ficar, namorar ou não sei o que mais com ele.
O professor de ciências entrou na sala com uma cara seria que deu medo na Ana, não em mim, já estava acostumado ver aquela cara todos os dias naquela escola.
Ele falou quem tinha passado de ano e umas 7 pessoas ficaram de recuperação, mas isso não me impressionou muito, o que mais me impressionou foi a Bárbara com a sua grande “””amiga”””, isso mesmo com muitas” ” chorando porque passaram de ano, eu pensei:(Nossa que retardada, eu ia chorar se tivesse bombado de ano, deveria estar sorrindo). Pois é a vida te traz cada surpresa, uma pior que a outra.
Passei de ano, como eu já tinha imaginado, não fiquei alegre nem triste, normal pra falar a verdade. E quão mal-educado eu sou, esqueci de me apresentar, bom, meu nome é Henrique, tenho 16 anos, olhos castanhos, tamanho médio para minha idade, sou magro, e uma das coisas que mais odeio é quando uma pessoa fala que pareço um fantasma, pelo simples fato de gostar de andar sempre na sombra, não gostar de tomar sol e porque eu sou branco e gosto muito do frio.
E nessa pequena história vou resumir para vocês um pouco da minha vida até o dia em que tudo mudou na minha vida e na vida de duas amigas.

E gente, esse mês eu vou continuar essa história, que tem 10 capítulos, e eu peço que vocês dêem sugestões para os próximos capítulos. XOXO

Publicado em Conto

Um Recomeço

Resumption

Então finalmente estou bem comigo mesmo, depois de tantas magoas e desilusões, de tantas amigas falsas e pessoas que querem nos deixar para baixo, aqui estou eu tentando começar uma nova vida, ter outras histórias para escrever com esperança de outra pessoa querer ler, ter outros amigos e tendo que conviver com pessoas diferente, que gostam do meu estilo musical, da maneira como me visto, do meu modo de pensar, entre outras coisas.

Mesmo que com outra vida e outra rotina completamente diferente, as lembranças ficam como fantasmas que no nosso momento mais frágil fazem questão de atormentar. Pois é, mudei de cidade/estado/país, estou estudando em uma universidade e em breve vou me formar. Vou quase todos os dias na Sephora e na F21 sempre com minhas novas amigas que sempre me fazem ficar mais feliz.

Publicado em Conto

Mudanças

changes

De um jeito muito difícil temos que lhe dar as diversas adaptações que a vida nos traz. Temos que abrir mão de várias coisas e pessoas que gostamos e que gostam da gente para simplesmente ter um novo começo, talvez triste, mas que com o tempo ameniza a dor. E essas mudanças talvez tenham um lado bom, o lado de nos amadurecer e o jeito de como nos faz comportar em diversas situações, muitas vezes constrangedoras. Mas que com certeza, o tempo nos fará dar boas risadas de nós mesmos.

 E nessas mudanças temos que conviver com pessoas completamente diferentes e de jeito estranho (pelo menos pra mim), e que com o passar do tempo vemos que essas pessoas são completamente iguais a nós, seja no jeito de se vestir, no gosto musical, no jeito de falar, de pensar, entre outras coisas.

 E não que temos de esquecer dos nossos velhos hábitos, amigos e gostos, mas temos que aprender a conviver com o novo mundo e com as diversas regras que esse mundo traz.     

Publicado em Conto

Conto : Jardim Secreto

conto jardim secreto

Acordei naquela manhã como se tivesse disparado 500 meteoros na minha cabeça, resolvi tomar um banho quente para ver se passava aquela sensação. Toda noite tive o mesmo sonho: Estava sentada em um banco de uma floresta muito linda e de repente vejo um gato em cima de uma arvore, tento escalar a arvore e quando consigo ficar em cima dela, não vejo mais o gato. Achei aquilo muito estranho. Desci da arvore e vejo duas garotas uma de cabelos loiro e a outra de cabelos preto, tento correr até elas e quando consigo chegar até elas, acordo.

Sai do banho e vesti uma blusa preta com uma saia de pregas branca. Caminhei até a penteadeira e peguei a chapinha e um óleo da Loreal, terminei de me arrumar e desci as escada da minha casa. Fui até a cozinha e vi minha mãe, meu pai e minha irmã tomando café, sentei com eles e comi uma torrada com geleia de morango (a minha favorita). E comecei a falar com minha mãe, pedindo para que ela me levasse até o colégio, já que era meu primeiro dia depois que nos mudamos de Londres. Vou me apresentar a vocês, meu nome é Samantha, mas prefiro que me chamem de Sam, tenho cabelos ruivos, sou muito inteligente, moro com minha mãe Claúdia, com meu pai Ricardo e com minha irmã Cristinne. Estou morando em Beverly Hills há uma semana e hoje é meu primeiro dia de aula no BVHS(Beverly Hills High School). Olhei no relógio e já era 7:48, e corri no banheiro para escovar os dentes. Sai do banheiro e corri para entrar logo no carro. E depois de uns 10 minutos, cheguei ào colégio, e realmente era um dos colégios mais bonitos que já tinha visto na minha vida, peguei o papel na minha mochila onde estava escrito o horário de aula e a sala em que eu ia ficar. E a sala era a 5, não demorei muito pra achar ela, e quando entro vejo as meninas do meu sonho, tomei um baita susto quando o professor chamou minha atenção, porque estava em pé. E a única cadeira que tinha sobrado era a que estava entre aquelas duas garotas, sentei lá e o professor começou a dar sua aula de Biologia(minha matéria favorita), aí elas se apresentaram pra mim, a loira se chamava Mary e  de cabelos pretos se chamava Anne. Elas me chamaram para participar de uma “Slumber Party” que ia ser na casa da Mary, depois de ter acabado a aula de Biologia, tivemos mais três aulas: História, Artes Plásticas e Teatro. Bateu o sinal do recreio e as garotas me chamaram para passar o recreio com elas, aceitei e sentamos em uma grama perto da fonte do colégio. E começamos a conversar:

Mary:- Eu sou de Detroid, e vocês são de Beverly?

Anne:- Não eu sou de Nova York. E você Sam é de onde?

Eu:- Eu sou de Londres.

Mary:- Eu já tinha sonhado com vocês duas, e nunca imaginei que um dias íamos nos conhecer.

Anne:- Eu também já tinha sonhado com vocês em uma floresta.

Eu:- E tinha um gato na história?

Mary:- Sim, você correu atrás dele e ele simplesmente desapareceu.

Eu:- Exatamente. Nossa que bizarro.

Mary:- Totalmente.

Mary:- Vocês vão mesmo até a minha casa, porque vou precisar da ajuda de vocês para uma coisinha.

Anne:- O que?

Mary:-E que eu tenho escutado uns barulhos estranhos vindo do meu porão.

Eu:- Ok. Amo essas coisas de mistério.

Derepente o sinal do recreio toca.

Eu: Vamos, já tocou o sinal.

Mary:- Nossa, quem é aquele ali?

Anne:- É o David, meu visinho, se mudou pra cá faz uma semana.

Mary: – Eu tenho que conseguir o número dele

Eu:- Vamos conseguir depois, deve que já começou a aula.

Saímos correndo até a sala de aula. E quando abrimos a porta o professor fala.

Professor: Onde é que as mocinhas estavam?

Anne: -No banheiro.

Professor: – Vamos, sentem-se as três nos seus lugares.

Cada uma sentou em seu lugar e esperamos a aula acabar, para podermos ir embora. E graças a Deus a aula finalmente acabou, me despedi delas e falei que era para irmos as 18:30. Cheguei em casa, almocei e fui tomar banho para ir dormir um pouco já que eram umas 15:00. Saí do banheiro e vesti uma roupa qualquer, botei meu celular para armar as 18:00 e cai na cama.

Acordei com o toque do meu celular, peguei uma mochila e coloquei meu pijama dentro e as coisas que ia precisar. E saio correndo, e quando abro a porta minha mãe pergunta onde estou indo, respondi que era na casa de uma colega minha e ela deixou. Saí correndo igual uma maluca, e cheguei na casa que Clover me indicou. Toco a campainha e vejo ela e a Alex abrirem. E para minha surpresa a Clover morava sozinha. Entrei e fomos assistir alguns desenhos animados muito legais, e Clover pediu uma pizza, e ela deu a ideia de irmos investigar o porão. Ela nos deu uma roupa que parecia que era para íamos acampar. Troquei de roupa no quarto dela e saímos para investigar. Entramos no porão e procuramos algo até cansar, quando vejo uma estante de livros e todos eram da cor vermelha com exceção de um que era azul. Puxei o livro e uma porta se abriu. Tomei um susto e perguntei se íamos entrar, ela falaram que tudo bem e fui eu na frente, atrás de mim era a Anne, e atrás da Anne era a Mary, e seguimos aquele túnel. E no final dele tinha algo tipo como se fosse uma escada. Subi primeiro e me deparei com uma chave no teto, peguei a chave e guardei no bolso e continuei a subir aquela escada. E quando terminei de subir me surpreendi com aquele jardim que era o mesmo do meu sonho. Nos três subimos e eu corri até aquela arvore e perto dela tinha uma um pequeno baú que estava trancado, peguei a chave do meu bolso e o abri e dentro dele tinha 3 pulseira uma verde que peguei para mim, Mary ficou com a vermelha e Anne ficou com a amarela, e depois disso juramos que aquele lugar ia ser nosso lugar secreto e fomos embora, quando ia sair para a escada, vejo um cachorro, um gato e um coelho, cada uma pegou o animal que mais gostou e fomos embora. E quando saímos uma porta se fecha nos deixando presas. Gritamos o máximo que conseguimos e a minha pulseira começa a me puxar ao encontro das pulseiras das minhas amigas e as três se juntam e uma chave surge através da união das pulseira e as pulseiras começam a brilhar, peguei a chave e abri aquela porta. E saímos correndo daquele lugar, e trancamos a porta do porão. E fomos assistir a um filme na televisão, o filme era tão triste que de repente adormeci.

Publicado em Conto

Conto: Férias em Nova York

inverno
Era um dia de inverno e eu estava em Nova York de férias, finalmente! Esta fazendo uns 3° C, e eu estava na casa da minha amiga Kate, havia 2 semanas e eu ia ficar mais um mês lá, depois eu voltaria para o Brasil. Bom, meu nome é Gabrielle, tenho 20 anos, sou loira, tenho olhos verdes, tenho mais ou menos 1,70 de altura. Eu trabalhava, trabalhava não, trabalho na revista CAPRICHO, há 8 anos, eu estava de férias em New York. A Kate tinha saído para ir comprar mantimentos para a gente, e eu estava de pijamas, com um moletom de cachorrinho cinza, uma calça preta e pantufas de porcos rosa, que tenho desde que tinha 15 anos, elas são horríveis, mas eu amo muito elas. Fui tomar banho na banheira da casa dela e depois vesti uma t-shirt preta com a frase “Away From the Sun” branca, que resumia aquela manhã, uma saia de pregas de estampa xadrez vermelha. Uma meia calça preta e botas de franjas pequenas pretas, coloquei também uma boina vermelha e um casaco preto da Adidas. Peguei minha bolsa Channel e dentro dela coloquei meu IPhone que eu comprei dias atrás, por isso eu tenho o maior cuidado com ele. Meu MP3 da Apple, $350, fones de ouvido BEATS, lip balm, hidratante, meus documentos, delineador, e um batom roxo. E peguei as chaves, e abri a porta. Peguei um taxi que me deixou na Forever 21, e lá eu comprei 5 t-shirts estampadas, que estavam muito barato, comprei 2 saias, 4 chapeis, um casaco, 2 pares de sapato e 3 colares. Quando sai fui para o Mac Donald’s e lá pedi o Mac Feliz, e quando ia sentar em uma mesa, um rapaz de olhos azuis e cabelos pretos, calça larga, tênis da adidas e um casaco da hollister. Tinha aquele estilo bad boy, dos meninos do Ensino Médio, que na minha época eram super idiotas. Eu era de um estilo bem diversificado, uma mistura de estilos Geek, Hipster e Rebel. Eu sempre ficava na frente, e era muito inteligente, mas quando me atormentavam eu partia pra violência, lembro de uma vez em que uma menina grudou goma de mascar na ponta do meu cabelo que na época era loiro, tipo platinado. Ai eu fiquei dando muros nela e quebrei o seu braço, e depois eu esfreguei a cara dela no quadro. Ai eu levei uma suspensão de 1 semana, por que o diretor do meu colégio era um “Idiot”. Aí voltando ao Mac Donald’s Ele se sentou na minha frente e disse: Ele:- Oi, meu nome é Bruno, percebi que você era brasileira e me sentei aqui. Eu:- Oi, me chamo Gabrielle, e eu estou aqui em Nova York há poucas semanas. Bruno:- Eu acabei de me mudar hoje. E você é muito bonita Eu:- Obrigada. Depois de mais ou menos 5 minutos de conversa, veio em nossa direção uma garotinha loira de olhos azuis, usava um vestido verde, sem magas com a parte de baixo parecendo a minha saia. Ela veio e me deu uma rosa vermelha, eu a agradeci e Bruno me disse que ela era sua irmã. De repente meu celular toca e eu vejo que era a Katy. Katy:- Gaby, onde você está e quando você vai vim? Eu:- Eu estou no Mac Katy:- Eu estou do lado de fora da casa Eu:- E porque você não entra? Katy:- Por que eu estou sem as chaves. Eu:- Ah então eu já estou indo. Desliguei o telefone, porque eu não gosto que desliguem na minha cara, sempre sou eu que desligo. Eu:- Tchau Bruno, até a próxima. Bruno:- Espera ,me dê seu numero Fui e dei meu numero e também peguei o dele. Bruno:- Até a próxima. Eu:- Ok Ele chegou perto de mim e me deu um beijo no rosto, e eu fiquei muito vermelha, e nossa como sua boca era macia, seu cheiro tinha o aroma de um perfume que eu já vi em algum lugar. E era muito doce, o que eu amo muito. Então me despedi dele e peguei um taxi para ir à casa da Katy. Chegando lá, Kate estava toda branca de frio. E usava um moletom preto com uma calça jeans preto, com um coturno preto, com um gorro vermelho. Kate quando me viu saiu correndo em minha direção, e me abraçou falando. Kate:- Mas que frio. Cadê as chaves? Eu:- Estão aqui Kate pegou as chaves da minha mão e saiu correndo para abrir a porta, mas escorregou no gelo, e levou um tombo. Eu instantaneamente comecei a rir, ela então fez uma bola de neve e jogou em mim, eu fui e joguei umas três nela, ai eu também escorreguei, e ela pulou em cima de mim e começamos a rir. Eu:- Vamos entrar Kate, chega não estou aguentando mais. Kate: Vamos! Kate abriu a porta e nos duas entramos ai Kate, começou a falar. Kate:- Amiga, você não sabe o que aconteceu? Eu:- O que? Kate: – Acabou de se mudar umas pessoas para a casa ao lado. Eu:- Eu fui à Forever 21, e comprei umas roupas, e depois fui ao Mac Donald’s, e lá eu conheci um menino, com quem troquei números e conversei e conheci a irmã dele que era muito linda, e me deu uma flor. Eu tirei a flor da bolsa e quando eu vi ela estava toda amassada. Kate:- Ah, que pena! Ai nesse instante toca a campainha. Kate foi abrir a porta, e eu fui à cozinha preparar um chocolate quente com marshmallows, e quando volto me deparo com Bruno e deixo o copo cair. Rápido fui pegar um pano para limpar o chão e uma sacola e luvas para pegar os cacos de vidro espalhados pelo chão. E enquanto Kate conversava com Bruno eu fui à cozinha e como não tinha mais chocolate, eu fiz 2 copos de smoothie de framboesa e os coloquei na geladeira.
Quando voltei para a sala Bruno já tinha ido embora e Kate me falou que ele era o nosso novo vizinho. Aí eu falei pra ela que ele era o menino que eu tinha encontrado no Mac. Depois começamos a conversar. Kate:- Ele ficou me perguntando coisas sobre você. Eu:- E o que você falou de mim? Kate:- Nada de mais. E você tirou uma sorte grande. Eu:- Por quê? Kate:- Ele e muito lindo. Eu rindo disse. Eu:- Meu Deus, que mulher pervertida. Rapidamente começamos a rir. Fui a geladeira e peguei os dois smoothies, bebi um e o outro dei para Kate. Depois eu perguntei a ela. Eu:- Kate, quantas horas são? Kate:- São 9h30 Eu:- Vou tomar banho pra dormir. Kate:- Vai lá Shreka, você está mesmo precisando. Eu:- Olha quem fala. Por acaso me chamo Kate? Quando eu viro pra ir tomar banho Kate me joga uma almofada em forma de Cupcake em mim. Dei um grito falando. Eu:- Someone Chuck A Cupcake at Me! E viro fazendo uma pose de Avril Lavigne. Kate:- Hey, Hey, Hey. Ela começou a rir, parecendo uma louca e eu disse. Eu:- Já, já, chamo o caminhão do hospício, pra vim te buscar. Kate:- Palhaça. Dessa vez eu realmente caminhei e fui em direção ao banheiro. E fiquei refletindo aquele dia, cheio de emoções. Terminei de tomar banho e vesti uma blusa rosa que eu comprei da CAPRICHO, e um short de um tecido bem folgado que eu comprei aqui em Nova York. Fui para o meu quarto e de lá de dentro dei um grito falando. Eu:- BOA NOITE KATEEEEEE! Ela rapidamente respondeu gritando Boa Noite Comecei a Rezar e depois peguei meus fones de ouvido e comecei a montar uma playlist com as musicas:

  1. Céu Azul- Charlie Brown Jr.
  2. Here Without You- 3 Doors Down
  3. Crying In The Rain- A-Ha
  4. Hello Heartache- Avril Lavigne. ❤
  5. Gloria A Deus Nas Alturas- Banda Shalom
  6. First Day Of My Life- Bright Eyes
  7. Baby One More Time- Britney Spears
  8. A Thousand Years- Christina Perri
  9. Burn- Ellie Golding
  10. The Monster- Eminem feat. Rhianna < < < Só gosto dela por causa dos gritos da Rihanna

E acho que adormeci na metade das musicas, pensando em Bruno. Acordei, tomei banho com a agua quente me fazendo ficar com mais preguiça ainda, e comecei a me arrumar escutando Rich Girl da Gwen Stefani, vesti uma t-shirt branca com uma caveira de glitter no meio, um casaco de couro preto, uma calça preta, botas de cano alto e coloquei um cachecol para não correr o risco de ficar com a garganta inflamada. Sai de casa e fui ate a casa do Bruno, a porta estava entreaberta e eu o vi beijando uma garota de cabelos loiros, e comecei a chorar quando vi aquela cena, eu não sabia ao certo o que eu sentia por ele, mas aquilo me machucou muito, quando eu ia embora, derrubei um vaso e ele me viu, e então comecei a correr. E vi ele correndo atrás de mim, rapidamente entrei e tranquei a porta. E comecei a chorar de novo, e depois de 5 minutos fui lavar meu rosto, e me olhei no espelho e tomei um susto com o que vi, meu delineador e meu rímel tinha borrado meu rosto tudo. Rapidamente lavei meu rosto e queria dormir pra esquecer aquilo tudo. Mas eu decidi que eu não ia ficar assim, e rapidamente peguei meus cartões de crédito, e decidi fazer aquilo que eu mais gostava, ir ao shopping, naquela situação eu estava a fim de estourar meu cartão de credito só com roupas. Depois que fiquei quase 1h e 30 lá resolvi ir pra casa. Liguei para um taxi, e voltei pra casa, quando voltei Kate não estava mais lá, e resolvi fazer a segunda coisa que me deixava feliz, cozinhar. E então liguei o Wi-Fi da Kate e peguei meu MacBook e coloquei no Youtube, e fiquei assistindo o canal da Danielle Noce, e comecei a fazer um bolo. E fui para sala e me embrulhei no Cobertor do Snupy. E comecei a assistir Mulheres ao Ataque, e aquele filme me animou muito, e depois de Meia Hora a campainha toca, e me dou de cara com Bruno, eu viro as costas e vou em direção ao sofá, quando ele me pega pelo braço e me leva em direção à parede, e me deu um beijo quente, que me fez esquecer o mundo naquele momento, e então ele me fala que sempre gostou de mim desde o primeiro momento que me viu, e que aquela era a ex dele, e me beijou de surpresa, e então ele me pega pelo colo e me leva até o meu quarto onde adormecemos lentamente. Fim Gente esse é minha primeiro conto aqui no blog e eu espero criar um a cada 3 meses, sobre temas diferentes, e deem sugestões de títulos ai nos comentários. Bjs e até o próximo post.